EXCLUSIVO: O impeachment de Collor 20 anos depois em Livro de Mino Pedrosa.

30/05/2012 16:03

Quando se está diante de um fato é preciso tomar decisões que só serão contadas posteriormente. No calor dos acontecimentos muitas vezes não percebemos que estamos escrevendo a história. Ou pior, estamos dentro dela. E só vamos saber disso depois! Leia agora  a 1a Parte, de uma série, do livro: COLLOR: O IMPEACHMENT DE FATO!, 20 anos depois.
 
COLLOR: O IMPEACHMENT DE FATO
 
Em 89 quando estava no Globo fui escalado como 
fotógrafo para cobrir a campanha de Fernando Collor de 
Melo à Presidência da República. Como tinha um perfil 
investigativo ficava parado na porta da Casa da Dinda. 
Passei noites inteiras e várias vezes flagrei aquele que 
seria o primeiro presidente eleito pelo voto direto após 
o Governo Militar em seus encontros políticos secretos.
Eu e o repórter fotográfico  Orlando Brito, da revista 
Veja, tínhamos regalias que outros repórteres não 
tinham. Collor reconhecia o esforço de nosso trabalho.
Entravamos na casa da Dinda para beber água, tomar 
suco, enquanto outros colegas da imprensa ficavam em 
locais restritos sem acesso  a casa. Com isso, fiz 
amizade com o capitão Dário, PM de Alagoas e ajudante 
de ordens de Collor. 
Eu tinha o telefone vermelho da  Casa Dinda. Aquele 
que somente Collor e Dário atendiam. Nunca poderia 
imaginar que aquele número fosse definitivo no 
convencimento do depoimento do motorista Eriberto 
França, que culminou com o impeachment de Collor.
 
Mino Pedrosa
 
Brasília, 29 de maio de 2012
 

Compartilhas Noticia

Tags

Comentários

Comentários

Escrever Comentário

50297

Subscribe to see what we're thinking

Subscribe to get access to premium content or contact us if you have any questions.

Subscribe Now