Bras?lia e brasilienses nas telas de cinema.por Gabriela Moll, da Ag?ncia Bras?lia

17/04/2015 09:47

--Filmes dirigidos por cineastas ligados à cidade mostram faces diferentes da capital do País e de seus moradores

Gabriela Moll, da Agência Brasília
16 de abril de 2015 - 18:22

De 17 a 21 de abril, a mostra Cinema Capital, no Cine Brasília, levará ao público longas e curtas-metragens que exploram diferentes perspectivas do DF. "Todos os filmes trazem personagens locais, como os artistas Athos Bulcão e Glênio Bianchetti, ou a própria cidade como protagonista", explica o cineasta e curador da mostra, Sérgio Moriconi.

Moriconi é diretor do curta Athos (1998), que será exibido no domingo (19). O documentário desvenda a obra do artista plástico Athos Bulcão por meio de elementos ficcionais. A ideia do roteiro surgiu após uma visita ao Brasília Palace Hotel. "Vi pessoas fazendo rapel em uma parede com a arte de Athos e resolvi brincar com essa abordagem inusitada", pontua. "Athos era uma pessoa não convencional. Fiz uma analogia entre o artista, a pessoa e a forma com que o público se relaciona com a obra", completa.

Abre o evento, nesta sexta-feira (17), às 19 h, o documentário Braxilia (2010), dirigido por Danyella Proença. O curta-metragem mostra como o trabalho do poeta-personagem Nicolas Behr se relaciona com a cidade.

Na sequência, a comédia dramática Simples Mortais (2011), do brasiliense Mauro Giuntini, apresenta três personagens que vivem o dilema entre o que querem e o que devem fazer. Em 2001, o cineasta dirigiu O Jardineiro do Tempo, curta-metragem também ambientado em Brasília. "Procuro trazer aspectos específicos da cidade para minha obra. Gosto de mostrar elementos como o céu, as árvores, a diversidade das pessoas e o modo de vida", afirma Giuntini, que está com o longa Até que a Casa Caia pronto e com estreia prevista para o segundo semestre deste ano.

Ainda na noite de abertura, a mostra terá o filme A Cidade é uma só? (2012), do ceilandense Adirley Queirós. Tendo a Ceilândia como referência, o diretor explora a forma com que os moradores da região lidam com as mudanças na cidade e a exclusão territorial e social sofrida por parte da população do DF e do Entorno. Em 2014, Queirós levou o troféu de melhor longa-metragem no Festival de Brasília com Branco Sai. Preto Fica.

A mostra Cinema Capital é parte da programação do aniversário de Brasília, comemorado na terça-feira (21). Na data, das 15 à meia-noite, o Cine Brasília também abrigará um evento com DJs, oficinas de skate e dança, food trucks, passeio de bicicleta, exposição de artes plásticas e grafite ao vivo.

Ao ar livreTambém em homenagem aos 55 anos da capital, a área externa do Panteão da Pátria, na Praça dos Três Poderes, abrigará uma grande tela de cinema. Nesta sexta-feira (17), será exibido o curta-metragem Sinal da Cruz (1995), de Pedro Jorge de Castro, que traz um retrato da chegada de trabalhadores a Brasília. No dia 24, será projetada a produção norte-americana Casablanca (1942), de Michael Curtiz. As exibições serão ao ar livre e darão direito a pipoca grátis. O evento é parte do projeto itinerante Cine Clube Sesc, promovido pelo Serviço Social do Comércio (Sesc).Fonte:http://www.df.gov.br/

Cinema CapitalDe 17 a 20 de abril
Às 19 h
Cine Brasília (EQS 106/107 - Asa Sul)
Gratuito

21 de abril
Das 15 h à meia-noite
Cine Brasília (EQS 106/107 - Asa Sul)
Gratuito

Veja a programação completa do aniversário da capital federal.

Compartilhas Noticia

Tags

Comentários

Comentários

Escrever Comentário

49957

Subscribe to see what we're thinking

Subscribe to get access to premium content or contact us if you have any questions.

Subscribe Now