SiteJornalOlhodeAguia
Not?cias
22/06/2020 12:06
Continuação do:Rastro – Festival de Cinema Documentário De 24 a 28 de junho de 2020

 Ethereality

Ruanda/Suíça, 2019, 14’38”, documentário

Direção: Kantarama Gahigiri

Sinopse: Encalhado no espaço por trinta anos. Como é a sensação de finalmente voltar para casa? Uma reflexão sobre a migração e o sensação de pertencimento. 


Filhas de lavadeiras

Brasil, 2019, 22’05”, documentário

Direção: Edileuza Penha de Souza

Sinopse: O documentário: “Filhas de Lavadeira” apresenta histórias de Mulheres Negras que graças ao trabalho árduo de suas mães puderam ir para escola e refazer os caminhos trilhados pelas suas antecessoras. Suas memórias, alegrias e tristezas, dores e poesias se fazem presente como possibilidades de um novo destino. Transformando o duro trabalho das lavadeiras em um espetáculo de vida e plenitude.


Floating in the River of Time

Cuba, 2019, 13’25”, documentário, retrato, esportes, religião

Direção: Amir Aether Valen

Sinopse: Esse filme é uma observação meditativa da poesia presente no mundo de Pedrito, um ancião das montanhas e relíquia de um tempo que já não existe, enquanto ele chega a um acordo com sua mortalidade física e conhece sua imortalidade espiritual.


A Morte Branca do Feiticeiro Negro

Brasil, 2020, 10'20'', Documentário Experimental

Direção: Rodrigo Ribeiro

Sinopse: Através de um ensaio poético visual, uma reflexão sobre silenciamento e invisibilização do povo preto em diáspora, numa jornada íntima e sensorial.


Quem  Matou Chiquito Chaves?

Brasil, 2019, 15’, documentário

Direção: Giovanna Giovanini, Rodrigo Boecker

Sinopse: Chiquito Chaves, 71 anos, é um fotógrafo brasileiro ainda na ativa. Através de suas lentes, viajamos por 40 anos de história do jornalismo impresso brasileiro, uma mídia ameaçada por todos os lados, principalmente pela revolução digital, as 'fake news' e pelo descrédito atribuído a ela por líderes mundiais que veem jornalistas como 'inimigos do povo'.


Tudo que é Apertado Rasga

Brasil, 2019, 27’19”, documentário

Direção: Fabio Rodrigues Filho

Sinopse: Na tentativa de forjar uma ferramenta capaz de operar o corte por justiça, este filme retoma e intervém em imagens de arquivo, reestudando parte da cinematografia nacional à luz da presença e agência do ator e da atriz negra.


Mostra Competitiva – Longas:


Mães do Derick

Brasil, 2020, 77’, Documentário

Direção: Dê Kelm

Sinopse: Thammy é mãe de Derick. Bruna, Chiva e Ana também. Ao som da trilha sonora do grupo Taiobas o documentário acompanha essa família que constrói com as próprias mãos seu lugar no mundo.


No rastro das cargueiras

Brasil, 2020, 71’, documentário

Direção: Carol Matias

Sinopse: Bibi atravessa a cidade equilibrando pilhas de metal e plástico em cima da sua cargueira. Essas bicicletas de carga adaptadas por ele e outros catadores cearenses revertem o “lixo rico” de Brasília em oportunidade de reciclagem popular, autônoma e limpa, tentando abrir caminho para uma vida melhor na capital brasileira. “No Rastro das Cargueiras” apresenta as técnicas, as paisagens e as histórias de um grupo de catadores-ciclistas no contrafluxo do consumo urbano e em luta pelo direito à cidade.


No gold for Kalsaka

Burquina Faso/, 2019, 80’, documentário

Direção: Michel K. Zongo

Sinopse: Desde o início dos tempos, o povo de Kalsaka, uma pequena vila em Burquina Faso, viveu com o ouro fornecido pela mina local. Tudo isso terminou com a chegada de uma empresa multinacional de mineração, que desapropriou proprietários de terras locais e explorou os recursos naturais, deixando a população local sem nada. No Gold for Kalsaka  acompanha Jean-Baptiste em uma comunidade que está tentando sobreviver e reivindicar sua dignidade enquanto luta contra as injustiças.


Virou Brasil

Brasil, 2019,  92’, Documentário

Direção: Pakea, Hajkaramykya, Arakurania, Petua, Arawtyta'ia, Sabiá e Paranya


Sinopse: Entre a vida na mata e as histórias antigas de seus avós, passando pela experiência do contato com a sociedade não-indígena, vivida por seus pais, uma nova geração de jovens Awá-Guajá nos conduz - com suas câmeras de vídeo - pelos caminhos que levaram sua terra a "virar Brasil". Hoje, em meio ao assédio dos karaí no entorno e a proximidade com a ferrovia da Vale - que leva obras, projetos e funcionários para dentro da aldeia - estão os desafios para manter a terra e as tradições, enquanto também assimilam-se os novos costumes.

Mostra de longas brasileiros Recanto do Cinema


Diários de classe

Brasil, 2017, 76’, documentário

Direção: Maria Carolina e Igor Souza

Sinopse: Diários de Classe acompanha o cotidiano de três mulheres – uma jovem trans, uma mãe encarcerada e uma empregada doméstica –, estudantes de centros de alfabetização para adultos em Salvador. Embora trilhem caminhos distintos, suas trajetórias coincidem nos preconceitos e injustiças sofridos cotidianamente. O documentário em estilo direto aposta no recorte espacial da sala de aula a fim de se aprofundar no dia a dia dessas personagens, revelando suas tentativas diárias de contornar o apagamento sistemático de suas existências.


Escape

Brasil/Espanha, 2018, 53’, documentário

Direção: Vinicius Sassine, Mariana Paschoal, Julien Mérienne, Maria Chatzi

Sinopse: Lludy perdeu o apartamento onde vivia em Barcelona e agora depende de um depósito para guardar sua infinidade de coisas. Em meio a uma busca constante por objetos, ela revisita sua vida, suas mudanças, sua condição de imigrante, sua solidão.


O estopim

Brasil, 2014, 84’, documentário

Direção: Rodrigo Mac Niven

Sinopse: O filme desvenda o caso emblemático do assassinato de Amarildo de Souza, torturado e morto por policiais militares dentro da UPP da Rocinha em julho de 2013, através da história de Carlos Barbosa, o Duda, morador da favela que enfrenta a polícia e denuncia as atrocidades que vinham sendo feitas na comunidade. O Estopim levanta a discussão sobre a militarização do projeto de governo e denuncia o que acontece na rotina das comunidades cariocas desde a implantação das UPPs.


Vaga carne

Brasil, 2019, 45’, drama

Direção: Grace Passô, Ricardo Alves Junior

Sinopse: Uma estranha voz toma posse do corpo de uma mulher. Juntos, a voz e o corpo procuram por pertencimento e por uma identidade própria enquanto questionam seus papéis dentro da sociedade. O filme é uma transcriação do espetáculo teatral da atriz e dramaturga Grace Passô.

Mostra Paralela Havana

Birth Wars

México, 2019, 73’, documentário

Direção: Janet Jarman

Sinopse: Contada através de histórias pessoais nas trincheiras do setor de saúde, Birth Wars registra uma luta de poder entre médicos e parteiras no México sobre qual visão sobre parto deve predominar. O filme traça uma jornada entre dois mundos divididos por preconceito e antagonismo e explora como construir pontes entre estes mundos poderia salvar vidas.



El Guardián de La Memoria

México, 2019, 93’, documentário

Direção: Marcela Arteaga

Sinopse: Carlos Spector, advogado de migração no Texas, luta pela obtenção de asilo político para mexicanos que fogem da violência advinda da guerra ao narcotráfico. Sobrecarregado pelo número de requerentes, horrorizado pelas histórias de famílias inteiras assassinadas e/ou sequestradas, sentiu a obrigação de agir e provar que esse conflito é uma ferramenta usada pelo governo mexicano. Através das histórias das personagens, se coloca em pauta o crime autorizado pelo Estado.


Lemebel

Chile/Colômbia, 2019, 96’, documentário

Direção: Joanna Reposi Garibaldi


Sinopse: Escritor, artista visual, e pioneiro do movimento queer na América Latina, Pedro Lemebel chacoalhou a sociedade conservadora chilena durante a ditadura de Pinochet nos anos oitenta. Corpo, sangue e fogo foram protagonistas no trabalho que tentou perpetuar nos últimos oito anos de sua vida, em um filme que nunca pôde ver finalizado. Em uma jornada íntima e política por suas performances arriscadas, lidando com homossexualidade e direitos humanos, o filme retrata o ápice de um desejo de imortalidade. 


Una Corriente Salvaje

México, 2018, 72’, documentário

Direção: Nuria Ibañez

Sinopse: Chilo e Omar parecem ser os únicos dois homens sobre a terra. Vivem em uma praia deserta e todos os dias praticam sua rotina de pesca para sobreviver. Sua amizade, permeada de sensualidade, lembra uma relação de casal, na qual os limites do que é feminino e masculino se confundem.

Mostra Paralela Homenagem Dácia Ibiapina:


O pagode de amarante

Brasil, 1984, 14’, documentário

Direção: Dácia Ibiapina

Sinopse: Filme realizado em Super-8 em 1984. As filmagens ocorreram em um bairro da cidade de Amarante (PI), situado no alto de um morro, na residência do senhor João Bitu, com participações de “Raimunda Pau Pombo”, “Nazaré Cambão”, Ely Sibita, “Tio Zuza”, “Joaquinzinho”, “Chica do Boné”, entre outros pagodeiros. Na abertura do filme, sobre imagens do bairro, se ouve serviço de alto-falante com a voz de “Chico Dedinho” convidando o povo de Amarante para comparecer à casa de João Bitu, onde haverá o pagode. Ganhador do Troféu Cidade de São Luís na VII Jornada de Cinema Super-8 do Maranhão.


Entorno da beleza

Brasil, 2012, 71’, documentário

Direção: Dácia Ibiapina

Sinopse: Temporada de concursos de miss em Brasília e cidades ao seu redor no ano de 2010. Contradições afloram em ensaios, passarelas e bastidores. Filmado em Brasília e também nas cidades Recanto das Emas, Sobradinho II, Itapuã e Cidade Estrutural, o documentário revela o universo dos concursos de miss.


Ressurgentes: um filme de ação direta

Brasil, 2014, 74’, documentário

Direção: Dácia Ibiapina

Sinopse: “Ressurgentes” tangencia o pensamento político, a visão de mundo, bem como as ações diretas; de um grupo de militantes de movimentos autônomos do Distrito Federal do Brasil no período de 2005 -2013. Inova no uso dos arquivos efêmeros do nosso tempo (primeiras décadas dos anos 2000). As gravações da equipe se misturam com trechos de vídeos e filmes feitos pelos personagens nos últimos 10 anos. Essas imagens trazem o espectador para dentro das manifestações.


Palestina do Norte, o Araguaia passa por aqui

Brasil, 1998, 13’, documentário

Direção: Dácia Ibiapina

Sinopse: Um encontro com as memórias da Guerrilha do Araguaia (1972-1974) por meio de relatos de mulheres ribeirinhas, quebradeiras de coco, da cidade de Palestina do Pará. Elas nos informam sobre a região do Araguaia, bem como sobre seu cotidiano durante a Guerrilha do Araguaia. Elas dizem: Aqui houve uma guerra”. 

Filhas de lavadeiras.jpg

Serviço: Rastro – Festival de Cinema Documentário

Data: De 24 a 28 de junho de 2020

Os filmes estarão disponíveis no site por 24 horas conforme a programação diária. Sempre de meia-noite a 23:59 de cada dia.

Site: www.festivalrastro.com

Instagram: @festivalrastro

Facebook: https://www.facebook.com/festivalrastro/ 
  
Assessoria de Imprensa
Editoria em Cultura
Programa Educativo
Public Relations
Social Media
Renato Acha
Acha Brasília
Endereço: QRSW 07 - Lote 03 - Sala 204 - Edifício Verdes Mares - Sudoeste - CEP 70.675-700 - Brasília - DF
 
 
 
 
 
Link:
0 Comentários | Escrever comentário

 

Rua Augusta - Emicida


Joe Satriani - Always with me, always with you


Jeff Beck - A Day in A Life


 

 

 

Thalyta Ribeiro de Oliveira Incrível seus projetos, tanto de fotografia, quanto com a galeria e as produções audiovisuais. Apenas continue!!
Contador de Visitas
Hoje: 2.973
Desde 15/05/2011: 5.717.656
você é a favor do impeachment de Bolsonaro? Vote.
n
sim