SiteJornalOlhodeAguia
Noticias
25/11/2018 10:40
Exposio sem plano nem piloto, de luis jungmann girafa.abertura 20 nov 2018 (ter), 19h30 visitao 21 nov 2018 a 6 jan 2019 ter a dom, 9h s 18h30 local museu nacional da repblica braslia/df entrada franca

 Brasília foi idealizada entre a matemática do planejamento e a mística da utopia. Que cidade é essa — lugar geométrico e compartimentado, traçado para poucos, uma dádiva a eleitos — que nasceu sob a promessa de se tornar terra prometida? E a massa de trabalhadores que veio erguê-la — os candangos, seus habitantes originais, de direito — por que não tomou parte nas escalas residencial, monumental, gregária e bucólica? Essas são perguntas que a própria cidade respondeu com uma expansão incontrolável. Hoje, há várias Brasílias em Brasília, abstratas, surgidas da rigidez do concreto. Em Sem plano nem piloto, exposição concebida para o Museu Nacional da República, o artista plástico Luis Jungmann Girafa, em uma catarse poético-visual, expõe uma Brasília imaginária e existencial, da invenção criativa à realidade vivida.

Também arquiteto, fotógrafo e cineasta, Girafa monta nesta exposição quatro ambientes provocativos:

1) Setor de Pentimentos, palavra essa que tem origem no italiano e significa “arrependimento”, e que, nas artes plásticas, caracteriza um refazer do processo pictórico que o artista coloca em prática para cobrir aquilo que não considera satisfatório;

2) Praça dos sem Poderes, instalação sobre os descontornos do planejamento e da utopia, onde o quadro principal chama-se “Esplanada dos Mistérios”;

3) Eixe-o ou Deixe-o, espécie de câmara escura que metaforiza o projeto do Plano Piloto por meio de fotografias, de desenhos, de uma escultura orgânica e de uma linha gráfica conduzida pelo artista e percorrida por oito estagiários do museu;

4) Entreasas, expressão imagética intuitiva formada por pinturas e desenhos de várias épocas e pontuada por reticências fotográficas atuais.

Tudo isso expõe uma Brasília pensada livremente por um artista que a respira desde a infância, um filho do sonho utópico, e que com ela se desencantou, e se encantou novamente, e tornou a se desencantar, num ciclo infindável; uma Brasília pensada a partir de espaços recategorizados e não definidos, como, quem sabe, o Setor de Palavras de Ordem, o Setor de Direitos Ameaçados, o Setor de Deveres Esquecidos, o Comércio Local de Tumultos, a Área Especial de Incômodos, o Parque de Águas Passadas, o Eixo Desentendido, o Lago do Nada Azul; uma Brasília pensada pela ótica da desconstrução, uma Brasília notadamente sem plano nem piloto.FONTE:http://brasilia.deboa.com

Link:
0 Comentários | Escrever comentário

 

Motrhead "Heroes" (David Bowie Cover)

Motrhead to release Under Cver in September 2017 Covers compilation to include new version of David Bowies Heroes, (above)
Bruce Springsteen, U2, Patti Smith - Because The Night RNR HOF 2009


Renato Teixeira - Tocando em Frente


 

 

 

GERALDO Magela parabens amigo Ivaldo pela sua luta e honestidade e carater valeu amigo
Contador de Visitas
Hoje: 431
Desde 15/05/2011: 5.004.476
Voc? e a favor que o Jardim Bot?nico de Bras?lia - JBB. cobre da popula??o pra tirar foto?
n
sim