SiteJornalOlhodeAguia
Not?cias
07/10/2015 18:53
? HOJE!! ?ltima semana para assistir Nascentes, da Cia Alaya Dan?a.

-- Última semana para assistir Nascentes, da Cia Alaya Dança 

 
 
Apresentações gratuitas em Taguatinga e Ceilândia encerram a temporada, que tem patrocínio da lei de 
 
Incentivo à Cultura, O Boticário na Dança e Secretaria de Cultura do Governo de Brasília.
 
A Cia Alaya Dança encerra esta semana a temporada do espetáculo Nascentes – 
 
Circulação em apresentações gratuitas em Taguatinga, dias 6 e 7, no teatro SESC Paulo 
 
Autran, em Ceilândia, dias 9 e 10 de outubro, no teatro SESC Newton Rossi, sempre às 
 
20h. 
 
Resultado de um mergulho nas fontes da criação, Nascentes surgiu a partir de 
 
percepções, sensações, sentimentos e memórias de cada um dos intérpretes criadores 
 
que estarão em cena. Ao estabelecer contato com essas matrizes criadoras, os 
 
dançarinos geraram formas e movimentos reveladores de um longo processo de 
 
experimentação vivenciado nos últimos meses.  
 
A esses estímulos básicos, a coreógrafa da companhia, Lenora Lobo agregou a música 
 
original de João de Bruçó e a cenografia da artista plástica Ione Coelho como 
 
elementos inspiradores da dramaturgia, tecida com a participação da intérprete 
 
criadora Aida Cruz. “As expressões e linguagens artísticas misturaram-se à criação, e 
 
tudo passou a fazer parte da dança”, comenta a criadora Lenora Lobo, que está há 25 
 
anos à frente da companhia. 
 
O espetáculo Nascentes traz uma pegada contemporânea com uma composição cênica 
 
mais próxima de uma dança abstrata, diferenciando-se do repertório anterior da Cia 
 
Alaya.  O desafio foi o de aproximar os dançarinos da verdadeira natureza da dança, 
 
que firma-se no tripé corpo-espaço-tempo.
 
“A coreografia se configura por delicadezas que revelam temas já tratados pela Alaya, 
 
como questões da dança nossa – local e regional. Trabalhadas por um pensamento, de 
 
fato, contemporâneo, por apresentarem invenção, decomposição e síntese, nos 
 
trazem a escrita autoral de Lenora Lobo”, comenta a pesquisadora-professora do Instituto 
 
de Artes da UNICAMP, autora e ensaísta Cássia Navas.
 
Indo sempre além das composições coreográficas, a Cia Alaya também celebra este 
 
ano seus 25 anos de criação. Ao longo desse período, participou dos mais importantes 
 
festivais de dança nacionais, porém sempre atenta às oportunidades de levar um 
 
pouco mais do que somente a dança aos palcos por onde passou.
 
 A temporada tem patrocínio da lei de Incentivo à Cultura, O Boticário na Dança e 
 
Secretaria de Cultura do Governo de Brasília. A Arteviva Produções é a produtora do 
 
projeto. A direção Artística é de Lenora Lobo.
 
...........................................................................................................................................
 
SERVIÇO
 
Espetáculo: Nascentes 
 
Indicação: livre
 
Apresentações gratuitas.
 
Locais e datas:
 
Taguatinga
 
Dias 6 e 7 de outubro (terça e quarta)
 
Horário: 20h
 
Local: Teatro SESC Paulo Autran 
 
Ceilândia
 
Dias 9 e 10 de outubro (sexta e sábado)
 
Horário: 20h
 
Local:  Teatro SESC Newton Rossi
 
 
 
Respire NASCENTES, pulsar sutil da arte contemporânea
 
 
Cássia Navas. Pesquisadora-professora do Instituto de Artes, UNICAMP, escritora e ensaísta.
 
 
 
No ano em que comemora 25 anos, a Companhia Alaya trouxe ao público mais 
 
uma criação: NASCENTES. Interessante nome de obra a apontar para 
 
nascimento, no momento em que o grupo tem muito caminho andado, a partir do 
 
trabalho de sua coreógrafa Lenora Lobo, nesta obra ladeada por dois de seus 
 
colaboradores: Aida Cruz e Alexandre Nascimento.
 
No Alaya, para se dançar as nascentes e os rios da criação, os pontos de partida 
 
sempre foram os mestres da dança de Lobo – Rudolf Laban, Klauss Vianna e 
 
mestres-brincantes das danças do Brasil –, mas também a dança de cada 
 
intérprete, em investigação onde suas origens – terra natal, bagagem corporal e 
 
experiência cênica – são trazidos ao palco pelo que cada corpo carrega. 
 
Em 2015, Lobo novamente explora estas “nascentes”, que subjazem a sua 
 
trajetória e às trajetórias de bailarinos que a acompanham na estruturação, em 
 
permanência, de um método original, trabalhado em dois livros e em DVD já 
 
lançados-  o “teatro do movimento, um método para o intérprete-criador”.
 
Neste novo trabalho, em pesquisa esmiuçada, a busca de “nascentes” foi 
 
elaborada com um sentido: o mergulho nas fontes da criação, misterioso ponto 
 
de origem de toda a arte. Mistérios que podemos entrever na sutileza desta 
 
coreografia, que se apresenta como capítulos dum livro sem palavras, em 
 
páginas que se movimentam a partir de sínteses do que a dança pode contar – 
 
por cada um e entre todos – em figurinos e iluminação essenciais.
 
Ilustrando estas páginas, temos os preciosos elementos de cena que remetem ao 
 
espiralar da vida e da pesquisa de um “ teatro do movimento”. São como corpos 
 
cênicos a acompanhar os intérpretes de outros “corpos da arte”, como os da 
 
música. 
 
De grande qualidade cênica, ela se integra à obra, sem apresentar um 
 
protagonismo em si. É quase uma música-dança, posto ter sido composta por um 
 
compositor imbricado em procedimentos do dançar – João de Bruçó-, com quem 
 
Lobo estabelece um trabalho de transdisciplinaridade.
 
A coreografia se configura por delicadezas que revelam temas já tratados pela 
 
Alaya, como questões da dança nossa – local e regional. Trabalhadas por um 
 
pensamento, de fato, contemporâneo, por apresentarem invenção, decomposição 
 
e síntese, nos trazem a escrita autoral de Lenora Lobo.
 
Esta escritura não é somente pele que recobre o trabalho de todos, intérpretes e 
 
músicos, mas também uma musculatura coreográfica que pulsa sob esta pele, 
 
rede criativa a envolver, em movimento, as cenas da obra. 
 
Num mar de espetáculos onde a verborragia de movimentos e de ações, muitas 
 
vezes somente desarticuladas pelo desejo de ser atual, NASCENTES é um 
 
momento de respiração, uma parada que inspira o debate sobre as origens da 
 
arte contemporânea e o seu futuro. 
 
Tempo de maturidade de uma criadora e de uma companhia de dança que toma 
 
e retoma as suas nascentes. Imperdível!
 
 
 
Link:
0 Comentários | Escrever comentário

 

Motörhead "Heroes" (David Bowie Cover)

Motörhead to release Under Cöver in September 2017 Covers compilation to include new version of David Bowie’s “Heroes”, (above)
Bruce Springsteen, U2, Patti Smith - Because The Night RNR HOF 2009


Renato Teixeira - Tocando em Frente


 

 

 

GERALDO Magela parabens amigo Ivaldo pela sua luta e honestidade e carater valeu amigo
Contador de Visitas
Hoje: 359
Desde 15/05/2011: 5.288.528
Voc? e a favor que o Jardim Bot?nico de Bras?lia - JBB. cobre da popula??o pra tirar foto?
n
sim